Categoria: Notícias
Data de publicação: abril 14, 2021

Uma viagem pelo mundo da agricultura resiliente

Hanneke e Ruud se conheceram há mais de trinta anos, em um curso de comunicação e marketing, e imediatamente se apaixonaram, se casaram e tiveram dois filhos, Calvin e a Puk. Por mais de vinte e cinco anos, eles trabalharam juntos com fotografia documental e agora estão investindo em um projeto sobre alimentação saudável:

Como surgiu o seu interesse pela agricultura?

Junto com a fotografia e as viagens, temos outra grande paixão: uma alimentação saudável. Em nossas viagens, sempre buscamos a culinária local e investigamos as origens de nossa comida. Temos ficado alarmados e perturbados, como tantos outros cidadãos comuns, com as consequências relacionados às mudanças climáticas e pelos problemas nutricionais relativos ao crescimento da população mundial e ao consumo excessivo.

Quem teve a ideia do projeto?

Quando, em 2017, fomos convidados pela Koppert Biological Systems a fazer o livro comemorativo de seu aniversário, ficamos profundamente impressionados com as atividades da empresa. Como uma empresa com um impacto tão grande na agricultura passou despercebida? Como poderíamos ter sido bombardeados todos os dias por más notícias e escândalos alimentares, mas nunca ouvimos sobre desenvolvimentos positivos? Quando viajamos ao redor do mundo para criar histórias para a Koppert e sobre seus clientes, ficamos impressionados com a dedicação e paixão de todos os produtores que decidiram, muitas vezes desafiando as normas vigentes, que os métodos de produção deveriam mudar. Eles provaram que isso era possível simplesmente seguindo os princípios naturais, e contribuindo assim para uma agricultura saudável. A ideia deste projeto nasceu nos extensos campos de morango da Califórnia, onde na espessa neblina matinal nos encontramos com Laurence London, Gerente de Controle de Pragas da Fazenda Pão de Açúcar, para criar uma foto para o livro de aniversário. Ele produziu um pequeno frasco e mostrou como os ácaros predadores dentro dele podiam ser usados para combater as infestações de ácaros invasores.

 Foi nesse momento que percebemos que essas são as histórias que precisam ser contadas em fotografia, filme e texto.

Depois de criar o livro de aniversário, apresentamos nosso plano à Koppert. A empresa ficou entusiasmada com a ideia e decidiu iniciar um piloto e formar um grupo de trabalho ao qual se juntaram Peter Maes, Joke Koppert e Yvette de Schepper. O site - www.resiliencefoodstories.com - e as histórias são frutos desse piloto até agora.

Qual é o objetivo?

 Queremos, em primeiro lugar, dar uma plataforma e uma voz a todos aqueles agricultores em todo o mundo que em algum momento de suas vidas se opuseram e decidiram que as coisas deveriam e podem ser feitas de maneira diferente. Com essas histórias, queremos inspirar todas as partes interessadas – legisladores, organizações agrícolas e produtores – a dar um passo em direção à agricultura sustentável.

Nosso objetivo não é apenas atingir o público-alvo de profissionais, mas também o maior público possível, mostrando que apenas a agricultura sustentável, que se baseia em princípios naturais, pode tornar os suprimentos alimentares globais mais saudáveis, seguros, produtivos e resilientes.

O complexo assunto mundial da produção de alimentos torna-se assim uma questão de pessoas reais e suas histórias emocionantes e esperançosas, que são extraordinárias, inspiradoras, informativas, comoventes, engraçadas e promissoras. Nos próximos anos, junto com a Koppert, continuaremos adicionando histórias à plataforma. Não é o objetivo final do projeto, mas deve ser visto como uma estante cheia de relatos inspiradores. Temos o compromisso de compartilhar essas histórias o mais amplamente possível, tanto online quanto offline. O objetivo final é desenvolver uma exposição itinerante nos próximos três anos que se situe entre uma experiência ao vivo e uma exposição de fotografia tradicional. Mais de 100 histórias serão elaboradas em uma instalação de vídeo multimídia imersiva, em nosso próprio Espaço Móvel Sustentável, um local que expressa, de forma inclusiva e democrática, o valor e a necessidade de uma produção alimentar sustentável. Será acessível a visitantes de todas as origens culturais e sociais. A mensagem será: solo saudável significa plantas saudáveis; e plantas saudáveis significam pessoas saudáveis e um planeta saudável.

 

Quais países foram considerados para inclusão e quais serão realmente incluídos?

Para o piloto, decidimos trabalhar o máximo possível de assuntos e países que possam ser vistos de um carro (no caso dos EUA e da China, histórias do livro de aniversário da Koppert). Não elaboramos uma lista de países ou assuntos. O que temos em mente é um equilíbrio entre histórias grandes e pequenas, próximas e distantes, mas todas autênticas e inspiradoras. O Brasil está no topo da nossa lista de desejos justamente porque queremos mostrar que os avanços na agricultura sustentável em um país como o Brasil, onde dominam notícias negativas (desmatamento, monocultura, uso excessivo de agrotóxicos), são extremamente encorajadores. Além disso, queremos lançar luz sobre o máximo possível de safras e tipos de agricultura: safras de cobertura, safras ao ar livre, alimentos básicos, frutas, produção de sementes e assim por diante.

Como você escolhe as histórias?

No grupo de trabalho, discutimos desenvolvimentos e notícias e, a seguir, decidimos quais assuntos são mais relevantes. Também fazemos muitas pesquisas sobre novos métodos e histórias possíveis. Foi assim que desenvolvemos o assunto da agricultura de Alto Valor Natural, que queremos usar para mostrar que métodos de cultivo centenários não são uma ameaça para a natureza, mas ajudam a enriquecer a biodiversidade.

Quais histórias mais emocionaram você até agora e por quê?

A história “De padre a cultivador de pimenta”, sobre um padre na Romênia que compra um pacote de salsa embrulhado em plástico em um supermercado e se pergunta como podemos ser tão cegos a ponto de não cultivarmos nossa própria salsa, e então monta uma estufa. Não é uma história sobre como resolver o problema de como alimentar o mundo, mas mostra, de forma bela e comovente, como ele contribui para uma solução sustentável para um problema local. Há também a história de Átila Kokeny (Hungria), um agricultor sem-terra que ajuda os produtores locais a mudar da agricultura convencional para a regenerativa e agora supervisiona cerca de 20.000 hectares. Além da dedicação do homem, são os princípios da agricultura regenerativa que abrem os olhos e fazem você se perguntar: por que não mudamos todos para esta forma de agricultura sustentável, quando os princípios são tão simples e tão óbvios?

Atenção:

Você está no site Koppert do Brasil.
O conteúdo deste site é destinado a agricultores e demais profissionais do setor agrícola.