Macrophomina phaseolina

Podridão de carvão

Geral

Macrophomina phaseolina é um fungo comum das regiões mais quentes, responsável pela podridão de carvão. Tem uma gama muito vasta de culturas hospedeiras, muitas das quais são importantes do ponto de vista econômico.

Ciclo de vida e aspecto da podridão de carvão

Os fungos sobrevivem no solo e nos resíduos da plantação como microesclerócios. Nos caules de milho, foi relatada uma sobrevivência até 1,5 anos. A densidade dos microescleródios no solo está diretamente relacionada com a incidência da doença.

Dentro de 24 horas, o fungo infecta as raízes da planta hospedeira através da penetração direta nos tubos germinais. Nos dois dias seguintes, aparecem manchas necróticas nas raízes e o fungo se espalha no córtex e no tecido vascular. Nos tecidos infectados da planta hospedeira, formam-se novos pontos esclerócios. O enfezamento, queda das folhas ou da planta inteira podem ocorrer quando os tecidos condutores ficam bloqueados.

A dispersão da doença ocorre praticamente apenas através dos microescleródios e não por conídios. Os microesclerócios podem ser dispersos através de partículas de terra nos equipamentos, pessoas, materiais de embalagem, etc. Os fungos podem ser transferidos para as sementes, mas isto não é considerado uma fonte principal de infecção.

Temperaturas acima dos 32°C ou secas são as condições ideais para este fungo. Assim, este problema não afeta as culturas nos campos das regiões temperadas.

Como prevenir a podridão de carvão?

Atenção:

Você está no site Koppert do Brasil.
O conteúdo deste site é destinado a agricultores e demais profissionais do setor agrícola.