Polyphagotarsonemus latus

Ácaro-branco

Geral

O ácaro-branco (Polyphagotarsonemus latus) surge nos trópicos e em estufas e regiões temperadas e possui uma ampla variedade de plantas hospedeiras, principalmente pimentões, mas também beringelas, tomates e pepinos Além disso, muitas culturas ornamentais como as azáleas, begônias, gerberas e cyclamen também são afetadas. Em climas temperados, os ácaros-brancos (Polyphagotarsonemus latus) não causam sérios problemas pois não resistem ao frio.

Os ácaros pertencem à família dos tarsonemídeos e possuem hábitos alimentares mais variados do que outras famílias de ácaros. Existem espécies que se alimentam à base de fungos, algas, plantas, bem como insetos e predadores e parasitas dos ácaros. Os ácaros que vivem nas plantas podem causar danos consideráveis às mesmas.

Os “tarsonemidae”, como o ácaro-branco (Polyphagotarsonemus latus), podem surgir em cultivos ornamentais e vegetais.

Ciclo de vida e aspecto do ácaro-branco

O ciclo de vida dos ácaros tarsonemídeos possui os seguintes estágios: ovo, larva e adulto. As larvas possuem três pares de pernas e os adultos quatro. O último par de pernas, tanto nos machos como nas fêmeas, é diferente dos outros e não é utilizado para se deslocar. As larvas permanecem na cutícula larval durante um ou dois dias, emergindo em seguida. Este estágio é geralmente chamado de quarto estágio e denominado pupa, falsa pupa ou ninfa quiescente. Os machos usam o seu quarto par de pernas para transportar as fêmeas jovens (ninfas quiescentes) que ainda se encontram na sua cutícula larval. O acasalamento ocorre quando a fêmea adulta emerge da cutícula larval. Os ácaros tarsonemídeos não possuem olhos.

Os ácaros-brancos fêmea (Polyphagotarsonemus latus) depositam os ovos principalmente na parte inferior da folha ou na superfície dos frutos. Os ovos são alongados, ovais, aderem firmemente à superfície e são grandes (cerca de 0.07 mm) em comparação com os estágios ativos subsequentes. Estes ovos são transparentes e com pontinhos brancos.

As larvas do ácaro-branco (Polyphagotarsonemus latus) se parecem com a fase adulta, mas são ligeiramente menores e possuem apenas três pares de patas.

O ácaro adulto emergente possui apenas 0,2 mm de comprimento, é oval e largo, e possui cor pálida amarela ou verde amarelada, dependendo do tipo e quantidade de alimentos consumidos. Ácaros fêmea possuem uma listra branca nas costas.

Sintomas e danos

Os danos causados pelo ácaro branco (Polyphagotarsonemus latus) podem ser semelhantes aos danos causados por vírus. O padrão típico de danos consiste na má-formação e distorção do crescimento da planta acima do solo. Os ácaros preferem as plantas jovens em desenvolvimento, como pontas em crescimento, folhas tenras e brotos jovens. O mecanismo que causa a deformação ainda não é completamente conhecido. Provavelmente os ácaros, ao sugarem os conteúdos das células da planta, segregam substâncias que atrapalham o crescimento local.

A alimentação à base de folhas se concentra sobretudo na parte inferior da folha, perto do caule, causando o escurecimento e enrolamento da folha. Um sinal típico de ataque do ácaro-branco (Polyphagotarsonemus latus) é o aspecto castanho-escuro nas extremidades das folhas jovens. Se a infestação for moderada, podemos observar manchas ou linhas na cor castanha formando uma fina rede nas folhas. Se a infestação for mais severa, esta rede se torna tão densa que o tecido verde já não fica mais visível. Na maioria dos casos, as nervuras principais ficam intactas, contrastando o verde padrão com o tecido castanho das folhas. As manchas castanhas com aspecto de cortiça podem surgir nos pecíolos das folhas e nas hastes principais.

As pontas em crescimento nas plantas afetadas possuem aspecto malformado, com folhas contorcidas e descolorações esporádicas castanhas causadas pela formação de cortiça. Quando as plantas são seriamente atacadas, a ponta em crescimento pode ser destruída, fazendo com que o crescimento pare e a planta morra.

Também existe a possibilidade de formação de tecido com aspecto de cortiça nos frutos. Nos locais em que as células perfuradas morrem, formam-se áreas com aspecto de cortiça que causam deformações nos frutos, ranhuras e aberturas no local da deformação. Muitas vezes, as flores perdem a sua coloração e deformam quando seriamente atacadas. Danos extensivos podem ser causados por populações relativamente baixas.

Muitas vezes, as folhas mais baixas de uma planta permanecem intactas enquanto as folhas mais tenras e jovens são danificadas. A maior parte dos ácaros-brancos (Polyphagotarsonemus latus) se encontram nas partes inferiores das folhas novas e em crescimento. Os sintomas do ataque permanecem visíveis durante várias semanas após os ácaros terem sido eliminados.

Entre em contato com um especialista da Koppert

Koppert Biological Systems

Thanks for your request!

Something went wrong, please try again

Quer saber mais sobre nossa empresa e produtos? Entre em contato com um dos nossos especialistas.
Produzimos produtos e soluções para agricultores

Este site é protegido pelo reCAPTCHA e pela Política de privacidade e Termos de serviço da Google.
Este site é protegido pelo reCAPTCHA e pela Política de privacidade e Termos de serviço da Google.

Assine nossa newsletter

Receba notícias da Koppert do Brasil na sua caixa de e-mail

Este site é protegido pelo reCAPTCHA e pela Política de privacidade e Termos de serviço da Google.
Rolar para o topo